segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

BRASINHA COMICS

Nome original: Hot Stuff
Licenciador: Harvey Comics


    Reproduzimos abaixo texto do site Bricbrac.com.br:

    Um fato interessante a respeito da Harvey Comics, é que possui personagens que tradicionalmente assustariam às crianças, mas que na verdade as deixam felizes; seria normal que uma criança pequena se assustasse com fantasmas, feiticeiras e diabos, mas a Harvey Comics sempre fez de seus monstros, amigos e brincalhões ao máximo. Brasinha (Hot Stuff, the Little Devil) é um deles.
    Sua primeira aparição foi em Hot Stuff #1 em Outubro de 1957, na capa, Brasinha perguntava: Eu sou Brasinha... Quem é você?, enquanto no desenho, queimava a capa do gibi. Naquela época a Harvey tinha muita confiança no seu novo personagem pois lançou Brasinha como estrela principal, e não como personagem secundário do staff de estrelas da Harvey. O papel de Brasinha no mundo Harvey era único, já que ele não contracenava com outros personagens, a não ser por duas ou três vezes em que dividiu a cena com Miudinho e Gasparzinho. Mas, geralmente, Brasinha reinava em seu mundo repleto de ogros, gnomos, fadas e outros diabos. O personagem secundário da maioria dos títulos publicados do Brasinha, foi sem dúvida o Miudinho, que surgiu na edição de número 3, porém, tinha suas próprias histórias.
    Howard Post and Warren Kremer foram os principais desenhistas das histórias do Brasinha, porém, sua criação é atribuída a Alfred Harvey. O humor inventivo e selvagem de Howard Post dominou os temas das histórias durante anos. Warren Kremer teve sua contribuição nas histórias do Brasinha, mas construiu sua reputação, ilustrando as histórias do Miudinho por muitos anos, tendo sido o responsável pela maioria das capas das revistas do Brasinha.
    Brasinha se manteve ao longo dos anos como um personagem secundário se comparado a outros no Universo Harvey, principalmente por nunca ter estrelado um desenho animado ou ainda por nunca ter sido contratado para merchansing de produtos. Uma série de desenhos animados foi ao ar nos anos 60 e depois novamente nos anos 70, mas as supostas ligações satânicas do personagem, imediatamente o tiraram do ar. Uma espécie de cultura mística rondou o personagem, tornando-o famoso e assimilado como mascote de gangues de drogados e bikers, por conta de suas conexões satânicas.
    Apesar disto tudo houveram excelentes histórias do Brasinha.

    No Brasil, o Brasinha foi editado pela Empresa Gráfica O CRUZEIRO S.A., tendo como diretor-secretário em 1964 ninguém menos do que Austregésilo de Athayde.


    Fonte:
    www.bricbrac.com.br/brasinha_história.htm







    Nenhum comentário:

    Postar um comentário